O Desafio da Produtividade

Veja a nova esteira robotizada implantada pelo Laboratório Central da Santa Casa de Porto Alegre, em reportagem no Jornal da BAND.

 

Não deixe de conhecer o novo desafio da Santa Casa de Porto Alegre, que colocou em funcionamento este mês uma nova esteira robotizada da SIEMENS para realização de exames de análises clínicas que impulsiona a automação do Laboratório Central a níveis ainda mais impressionantes do que já eram. O conjunto de equipamentos, que funcionam integrados com o Sistema SCOLA, permite ao conjunto uma fabulosa capacidade produtiva do 3600 exames por hora, ou um exame a cada segundo.

O que você não pode deixar de saber é que todo este aparato tecnológico está integrado ao Sistema SCOLA de Controle Laboratorial, que trabalha dando suporte de informações de exames e pacientes ao complexo da esteira robotizada em dois níveis de integração: o SCOLA Interface e o SCOLA Qualidade. 

O Sistema SCOLA gerencia as solicitações de exames dos pacientes, identifica, organiza e determina as necessidades de testes de cada amostra que é entregue ao equipamento já com as devidas prioridades das solicitações através do SCOLA Interface. Juntamente com os pedidos o Sistema SCOLA entrega para a esteira robotizada os resultados dos últimos exames de cada paciente, de formas que possa ser aplicado o recurso do delta-check para permitir a liberação de resultados em lote pelos bioquímicos. 

Este mesmo módulo do Sistema SCOLA recebe os resultados dos exame realizados pelos equipamentos da esteira, entregando-os então para que os bioquímicos possam avaliar estes resultados, liberando-os ou determinando providencias específicas, até que os pacientes e os médicos possam receber os laudos elaborados pelo Sistema SCOLA com os resultados liberados pelos bioquímicos. 

O outro nível de integração é menos aparente, mas igualmente muito importante. Trata-se do SCOLA Qualidade que atua também diretamente interligado aos diversos equipamentos do laboratório, inclusive os conectados à esteira robotizada. Amostras de controle são rotineiramente processadas nos analisadores da esteira, e seus resultados previamente conhecidos devem ser aferidos com a análise realizada pelos equipamentos, de forma a garantir que os resultados obtidos mantenham alto grau de precisão e qualidade. Os resultados das amostras de controle, uma vez liberados pela esteira, são coletados pelo SCOLA Qualidade, que realiza as avaliações de correlação e cruzamento de informações e identifica, se for o caso, alguma necessidade de ajuste ou calibração nos equipamentos, com a possibilidade inclusive de interromper automaticamente sua utilização. 

E qual o desafio do seu laboratório?  

Nós, da PRODITEC Sistemas, gostaríamos de conhecê-lo.  

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or